Publicidade

Antídio Aleixo Lunelli. Industrial e administrador de sucesso

POLÍTICA EM JARAGUÁ DO SUL há 1 mês

Antídio Aleixo Lunelli nasceu em 16 de junho de 1963, na localidade de Itapocu, entre os municípios de Corupá e Jaraguá do Sul. Filho de Abílio Lunelli e Evanilda Lenzi Lunelli, é pai de Amanda, Bruno, Daniel, Luísa e Vitória.  De origem humilde, filho de pais agricultores, Lunelli construiu uma das maiores empresas do ramo têxtil do Brasil. Sua primeira oportunidade fora da agricultura familiar foi uma bolsa de estudos e cursou o ensino médio técnico no Colégio Marista São Luís. Em seguida iniciou a faculdade de Economia na Universidade de Joinville (Univille).

Em 1981, começou a trajetória empresarial ao abrir um comércio familiar. Seis anos depois, em 1987, a empresa se tornou o Grupo Lunelli, que completa 39 anos em 2020. Hoje, o grupo tem fábricas em Santa Catarina, São Paulo, Ceará e Paraguai. Ao todo, são mais de 4,8 mil funcionários e uma produção de 23 milhões de peças ao ano. O sonho de construir uma das maiores empresas têxteis do país já havia se tornado realidade. Chegou, então, o momento de se dedicar à vida pública.

Se filiou ao PMDB em 2011 e disputou a primeira eleição em 2016, quando foi eleito Prefeito de Jaraguá do Sul. Desde que assumiu a Prefeitura, Lunelli tem implantado padrões de excelência na Administração Municipal. Fazendo revisões no orçamento do Município, enfrentou uma greve dos servidores públicos por 31 dias. Sua equipe revisou diversas leis e decretos que aumentavam a burocracia dentro do serviço público municipal e, mesmo com dificuldades na arrecadação, conseguiu deixar as contas da Prefeitura em dia. Está liderando a construção dos dois primeiros parques municipais e a pavimentação de mais de 150 ruas. Implementou diversas medidas de desburocratização e transparência, entre elas o Informativo semestral, "Prestando Contas Para a População" e o fato de ser a primeira Prefeitura do Brasil a implantar o Compliance Público (sistema de combate à corrupção).

Um pouco da trajetória - ´Sou filho de agricultores com muito orgulho, a gente trabalhava pesado, vivia na simplicidade, mas sempre tivemos amor pela terra, alegria pela lida. Estudei em escola pública no tempo em que o professor era uma verdadeira autoridade, algo que temos que recuperar. Do jeito que está hoje no Brasil vamos só ladeira abaixo. No segundo grau, consegui uma bolsa de estudos da Prefeitura no colégio Marista, o prefeito era Victor Bauer. Foi uma felicidade.

Depois trabalhei na inciativa privada, casei cedo, tive filhos e começamos um negócio próprio na garagem de casa mesmo. Com trabalho bastante duro, noites sem dormir, enfrentando todo tipo de dificuldade, crescemos e hoje me orgulho em ver a Lunelli uma das líderes de mercado. Mas não foi nada fácil. A burocracia, as barreiras para quem começa, a desconfiança sempre foram irracionais. Só não desisti porque sou casca grossa. ” Relata

Reeleição –“ Ainda não vejo clima para falar em eleição. Isso é coisa mais para a frente. Não tenho dúvidas que nosso governo tem apoio da comunidade. Alcançamos resultados reconhecidos no Estado inteiro. Mas é até falta de respeito com a comunidade ficar debatendo aliança, reeleição, em um momento tão difícil como esse. Meu foco total está em vencer esta pandemia, garantir que a economia do Município não vá para o brejo e continuar as obras iniciadas, que são muitas. Depois, quando chegar a hora, a gente pensa em campanha e pede voto. ” Argumenta.

Como o senhor definiria a diferença entre o setor público do privado. Se é que existe?

“Sempre disse que temos que ter a lógica do setor privado no setor público, ou seja, dinheiro bem administrado, contas equilibradas, limite de gastos para folha de pagamento. Só assim é possível investir, ter reservas para temporadas de crise como a que enfrentamos agora e prestar bom serviço. A diferença é a burocracia, a lentidão, as leis feitas para dificultar. Uma licitação de obra grande pode demorar até um ano, as empresas podem recorrer, enfim, para administrar na esfera pública, é preciso ter ainda mais pulso e experiência ou a coisa vai para o buraco mesmo. Arriscar é bastante perigoso.” Define

Prioridades na atualidade- “ Saúde e Social são prioridades absolutas neste momento, não há dúvidas. Mas muitas cidades e Estados não estão conseguindo nem fazer isso, que considero o básico. Em Jaraguá do Sul vivemos uma realidade diferente, conseguimos injetar mais verba e estrutura em Saúde e Social, fizemos repasses aos hospitais para aumento do número de leitos de UTIs e mesmo assim mantivemos os investimentos, estamos reformando escolas, reformando unidades de saúde, asfaltando, construindo dois parques para população que vai precisar de muito lazer quando isso acabar. Claro que se não fosse essa pandemia estaríamos avançando ainda mais. Mas estamos fazendo a máquina andar mesmo com uma queda de arrecadação acentuada. Também abrimos programa de crédito para os pequenos empreendedores, adiamos o recolhimento de taxas e impostos. Só conseguimos porque a Prefeitura estava muito bem equilibrada. E é importante que essas obras tenham continuidade, isso ajuda também a manter empregos e a economia. ” Finaliza.


Publicidade

Receba nossa Newsletter
Informe seu e-mail para receber as nossas novidades em primeira mão.
2003-2020 Revista Leia Mais
Hospedagem GETCON | Site By wAdvice