CUIDADOS COM OS PETS NO INVERNO

PETS há 3 meses


Durante os três meses que vão de junho a agosto, as temperaturas baixas  reinam em todo o país. É preciso atenção para os cuidados com os pets no inverno.

Por isso, providenciar roupinhas, cobertores e até banhos mais quentes não é exagero quando se trata de cães e gatos. Filhotes e idosos estão entre os que mais sofrem com a queda de temperatura. Mas é bom lembrar que os cuidados com os pets no inverno devem ser para animais de todas as idades. Afinal, isso previne o aparecimento de doenças e evita que outras já existentes se agravem.

Doenças mais comuns em pets no inverno - O inverno é a estação que mais cuidados requer com saúde dos pets. Isso porque a umidade e o frio se tornam a combinação propícia para o surgimento e agravamento de doenças como as respiratórias e as osteoarticulares. Entre elas, a osteoartrite canina, cujas dores se intensificam com temperaturas mais baixas, e as pneumonias, que surgem após quadros não tratados de gripe.

Osteoartrite canina - A osteoartrite canina é uma doença que atinge principalmente os cães em idades mais avançadas. Ela se manifesta através de problemas nas articulações e dores intensas, muitas vezes sem que sejam percebidas.  A doença resulta em um processo degenerativo que afeta ossos e articulações como ligamentos de joelhos, cotovelo, pulso e pelve. Ainda prejudica a formação de novo tecido ósseo. Letargia, apatia, perda de apetite, relutância ou dificuldade ao levantar e diminuição na amplitude dos movimentos são alguns dos sintomas que se manifestam.

Pneumonias - Apesar de ser comum nesta época do ano, a pneumonia pode ser um risco para os animais se não tiver os devidos cuidados. Geralmente, ela surge após quadros de gripe, em que os animais já estão com a imunidade baixa. Dificuldade para respirar, tosse, febre, rouquidão e perda de apetite são alguns dos sintomas.

Traqueobronquite infecciosa canina – conhecida como tosse dos canis ou gripe dos cães –, além de doenças respiratórias e osteoarticulares em animais idosos, são algumas das patologias mais frequentes nos pets durante o inverno.

Cães - Traqueobronquite infecciosa canina (similar à gripe dos humanos). Tosse seca, secreções nasais, espirros e a impressão de que cão está engasgado são sinais de gripe nos cães.

Gatos -  Panleucopenia, calicivirose e rinotraqueíte felina (similar à gripe dos humanos). Espirros, secreção nasal, falta de apetite e febre são sintomas dessa doença nos felinos.

                            Principais cuidados com os pets no inverno

– Evite que o animal fique na chuva ou no vento

– Os vista com roupas quentes, principalmente filhotes, os mais idosos e de pelo curto

– Proteja a caminha do contato direto com o chão para evitar a umidade e o frio

– Disponibilize cobertores ou mantas para se aquecerem

– Mantenha as vacinas em dia para evitar queda de imunidade

– Assegure-se que o local onde o pet fica esteja arejado, mas sem vento

– Escolha horários de sol  para dar banho nos pets e use sempre o secador para evitar que fiquem com o pelo úmido

– Estimule o banho de sol

– Proteja os ouvidos da umidade para evitar otites

– Dê acesso livre à água para evitar a desidratação

– Ofereça alimentos em maior quantidade, pois no inverno o gasto energético é maior

– Deixe a tosa para o verão

                                        Alimentação dos pets

De acordo com  veterinários, a alimentação dos cães e gatos no inverno também deve ser levada em consideração, pois eles têm maior apetite por causa de o gasto energético ser maior.

O indicado é que se aumente de 15% a 20% a quantidade de ração fornecida ao animal durante o inverno, mas esse aumento deve ser muito bem analisado para se evitar a obesidade. Os animais obesos devem receber a quantidade e a ração habituais.

Fonte -labgard.com.


Receba nossa Newsletter
Informe seu e-mail para receber as nossas novidades em primeira mão.
2003-2021 Revista Leia Mais
Hospedagem GETCON | Site By wAdvice